PRÉ-VENDA ATÉ DIA 15/10! Na compra de um exemplar, ganhe uma ilustração do livro impressa em papel couchê 210 g/m2*.

Livros começarão a ser entregues em 11/10 (a tempo do Dia das Crianças para São Paulo capital)

O lançamento oficial do livro acontecerá em 16/10 na loja Maritaca (Rua Paracuê, 340 - zona oeste de São Paulo). Há a opção de retirada no dia e local.

"Quem quer chegar logo em casa,

não ande com jabuti,

pois o jabuti não tem pressa.

Ele não tá nem aí"

No segundo livro da coleção de inéditos "Itamar para crianças", o compositor, cantor e instrumentista Itamar Assumpção brinca com as características dos jabutis e parte delas para imaginar as mais divertidas suposições: e se o bicho tocasse sax? Ou bateria? Se desfilasse no carnaval? E se alguém tivesse a ideia de para a igreja ou para a escola o jabuti levar?

Com as rimas e imagens bem boladas que eram características de suas músicas, Itamar aproxima-se mais uma vez do universo infantil por meio do seu encantamento pelos bichos. "O jabuti não tá nem aí" é um livro sobre os animais, é claro, mas também sobre o respeito à natureza e o desejo de paz. 

 O livro foi ilustrado por Dalton Paula, celebrado artista plástico brasileiro que investiga as influências da diáspora africana na cultura e história do nosso país. E que é fã de Itamar. O texto foi editado ainda pela poeta Alice Ruiz S, amiga de longa data e parceira de trabalho do autor.

* A ilustração-presente é idêntica à contida no livro, proveniente do processo de impressão - pode conter impressão no verso também.

 

Ficha técnica

Capa dura

40 páginas

21 cm x 21cm

ISBN: 978-65-8666-612-0

 

Os autores

 

ITAMAR ASSUMPÇÃO (por Anelis Assumpção)

Nasceu em 13 de setembro de 1949, na cidade de Tietê, interior de São Paulo, e faleceu em 12 de junho de 2003. Cantor, compositor, instrumentista, ator, produtor e, também, escritor, embora se considerasse simplesmente um "poeta não". Produziu uma obra valiosa: mais de 300 músicas, 9 discos e centenas de poesias. Seu rico acervo está, desde 2020, no museu virtual em sua homenagem, o MU.ITA.Entre 1998 e 2003, Itamar dedicou-se a uma coleção de livros infantis, que ficaram inéditos até 2021, quando publicamos "Homem-Bicho, bicho-Homem". Inquieto em sua arte e dedicado ao estudo da palavra, Ita resolveu aprofundar-se na linguagem infantil e empenhou-se bastante na construção dessas obras. Ele também era famoso por sua paixão pela natureza, flores, plantas e bichos. Com esses livros, proporciona um belo encontro entre a palavra e a memória, que desembocam num rio criativo, cheio de trava-línguas que destravam o pensar.

 

DALTON PAULA (por ele mesmo)

Nasci em Brasília, em 1982, e atualmente vivo em Goiânia. Trabalho como educador e artista visual. Gosto de fazer pinturas, fotografias, esculturas e instalações e, principalmente, de investigar as influências da diáspora negra na história brasileira. Obras minhas já foram expostas em museus como o MASP e o Instituto Tomie Ohtake e em eventos de arte, como a Bienal de São Paulo, a Trienal do Novo Museu em Nova York e a Bienal do Mercosul. Ao ser convidado para ilustrar os livros inéditos de Itamar, de quem sou fã, senti o chamado da ancestralidade. Deixou-me muito feliz a oportunidade de fazer parte de uma obra desse artista, que tanto fez por nossa cultura.

O jabuti não tá nem aí

R$52,00
O jabuti não tá nem aí R$52,00

PRÉ-VENDA ATÉ DIA 15/10! Na compra de um exemplar, ganhe uma ilustração do livro impressa em papel couchê 210 g/m2*.

Livros começarão a ser entregues em 11/10 (a tempo do Dia das Crianças para São Paulo capital)

O lançamento oficial do livro acontecerá em 16/10 na loja Maritaca (Rua Paracuê, 340 - zona oeste de São Paulo). Há a opção de retirada no dia e local.

"Quem quer chegar logo em casa,

não ande com jabuti,

pois o jabuti não tem pressa.

Ele não tá nem aí"

No segundo livro da coleção de inéditos "Itamar para crianças", o compositor, cantor e instrumentista Itamar Assumpção brinca com as características dos jabutis e parte delas para imaginar as mais divertidas suposições: e se o bicho tocasse sax? Ou bateria? Se desfilasse no carnaval? E se alguém tivesse a ideia de para a igreja ou para a escola o jabuti levar?

Com as rimas e imagens bem boladas que eram características de suas músicas, Itamar aproxima-se mais uma vez do universo infantil por meio do seu encantamento pelos bichos. "O jabuti não tá nem aí" é um livro sobre os animais, é claro, mas também sobre o respeito à natureza e o desejo de paz. 

 O livro foi ilustrado por Dalton Paula, celebrado artista plástico brasileiro que investiga as influências da diáspora africana na cultura e história do nosso país. E que é fã de Itamar. O texto foi editado ainda pela poeta Alice Ruiz S, amiga de longa data e parceira de trabalho do autor.

* A ilustração-presente é idêntica à contida no livro, proveniente do processo de impressão - pode conter impressão no verso também.

 

Ficha técnica

Capa dura

40 páginas

21 cm x 21cm

ISBN: 978-65-8666-612-0

 

Os autores

 

ITAMAR ASSUMPÇÃO (por Anelis Assumpção)

Nasceu em 13 de setembro de 1949, na cidade de Tietê, interior de São Paulo, e faleceu em 12 de junho de 2003. Cantor, compositor, instrumentista, ator, produtor e, também, escritor, embora se considerasse simplesmente um "poeta não". Produziu uma obra valiosa: mais de 300 músicas, 9 discos e centenas de poesias. Seu rico acervo está, desde 2020, no museu virtual em sua homenagem, o MU.ITA.Entre 1998 e 2003, Itamar dedicou-se a uma coleção de livros infantis, que ficaram inéditos até 2021, quando publicamos "Homem-Bicho, bicho-Homem". Inquieto em sua arte e dedicado ao estudo da palavra, Ita resolveu aprofundar-se na linguagem infantil e empenhou-se bastante na construção dessas obras. Ele também era famoso por sua paixão pela natureza, flores, plantas e bichos. Com esses livros, proporciona um belo encontro entre a palavra e a memória, que desembocam num rio criativo, cheio de trava-línguas que destravam o pensar.

 

DALTON PAULA (por ele mesmo)

Nasci em Brasília, em 1982, e atualmente vivo em Goiânia. Trabalho como educador e artista visual. Gosto de fazer pinturas, fotografias, esculturas e instalações e, principalmente, de investigar as influências da diáspora negra na história brasileira. Obras minhas já foram expostas em museus como o MASP e o Instituto Tomie Ohtake e em eventos de arte, como a Bienal de São Paulo, a Trienal do Novo Museu em Nova York e a Bienal do Mercosul. Ao ser convidado para ilustrar os livros inéditos de Itamar, de quem sou fã, senti o chamado da ancestralidade. Deixou-me muito feliz a oportunidade de fazer parte de uma obra desse artista, que tanto fez por nossa cultura.